Aye Aye, Sir



Para Diogo Lyra
livremente inspirado em Continente Perdido

Todo o homem é uma ilha
E algumas viagens naufrágio.
Ainda que viver seja impreciso,
Navegaremos por entre os recifes
Buscando aportar em nós mesmos
Mesmo quando não houver faróis
No lado mais perigoso da alma.

Todo homem é uma ilha
Que se une aos outros homens
Em sua natureza subterrânea.
O vento irá soprar várias canções de despedida.
Tentaremos a longa viagem?
Não é mar ou solidão que nos separam
É só distância.

Içar velas!
Todo leme a estibordo!
O coração comandará este navio agora.
A razão será a nossa bússola
A fé será nosso astrolábio
Firmes na tempestade! Perseverança!
Pois a rota, o mapa e mesmo o destino

Estão, são e moram com nosso capitão.

10/06/2007

Postagens mais visitadas