Sorrisos na Sarjeta


Sorrisos na sarjeta

A cidade não acorda... Este tempo não acorda...
Não gosto quando falam dos problemas deste tempo como se houvesse um glorioso passado
Assassinado como Cronos pelo zeitgeist de uma geração acéfala
O sorriso cariado deste presente é fruto do descuido das gerações passadas
Descuido com a verdade sobre o que é estar no mundo e no olhar sobre nossas escolhas


Mas é um tempo bom e cheio de possibilidades
que ainda choca os hipócritas que se negam a admitir
o recente fim da escravidão negra e o racismo
a cocaína vendida em farmácias, o aborto entre silvícolas
ou o homossexualismo na Grécia Antiga
E tratam a exposição destas questões como se fossem inéditas
Como se o passado e o presente não fossem um constante processo de transformação
A barriga da menina de nariz escorrendo pedindo um real pra comprar crack
Enquanto o moleque faz malabares no engarrafamento lotado de últimos lançamentos
Dá pistas do que irá morrer para as gerações vindouras:
Nossa dúvida sobre se estamos no caminho certo
Nosso senso de responsabilidade
O futuro.


Perdido em algum meio fio, junto à guimba de cigarro amassada,
eu deixei o meu sorriso ao vê-la, sonâmbula,
iludida,
jogar sua vida nas mãos de políticos boiadeiros, religiosos milionários, intelectuais pequeno burgueses e pseudo artistas
tangendo pessoas como gado em direção ao abate.

Estou cansado de Messias, homens perfeitos porque mentem com método e nunca se arrependem.
Cansei de sorrisos falsos e cascas vazias.
Cansei da diplomacia.
Cansei da velhice caquética e seu falso passado.
Cansei do maniqueísmo, dos suburbanos soberbos com seus bairrismos.
Como mudar o rumo dessa cidade nestes tempos?
Como lançar ventos nessa Nau dos tempos?


(Porque a hora é now, you know
Eu só não tenho know how)


Um nó, um grito. Serei mártir ao tocar berrante pra mudar esse destino?

Há um nó na garganta que não se desata.
Abandono a sala no meio de algum reality-show-sadomasoquista e vou em direção a sarjeta pra procurar aquele cigarro.
Não há como encontrar o sorriso perdido nessa cidade... nesse tempo.

Postagens mais visitadas