Uma Noite na Taverna

11 março 2012

Na regra da rima



Pout Pouri Porrada

A religião é uma droga que não te deixa pensar baseada em mentiras que levam a nenhum lugar.
E enquanto você obedece,
a humanidade emburrece
e algum pastor enriquece,
consegue virar deputado.

A ignorância prevalece,
você não olha pro lado,
você não olha pra dentro e pega um Deus emprestado.

Você tem medo do inferno,
arranja um culpado pra tudo,
dizer que Jesus te ama não salvará este mundo.

Bate o tambor pra Iansã,
arranja um Deus melhorado,
olhe pra dentro de si,
você sabe o que é errado.

Deixe o seu Deus ser você e nunca algo inventado.

O que é certo lhe faz forte mas pode deixá-lo isolado.
Coração bate acelerado enquanto procuro saída,
quem sabe uma rima ou verdade que possam salvar minha vida.

A patologia mental de não querer tomar remédio,
sentir ódio,
tesão,
alegria,
amor,
compaixão,
tédio.

Patologia mental de fazer rima,
que é melhor do que cagar regra.

O mundo te dá porrada enquanto a fé se desintegra.

Mas você segue teimoso
como se fosse coeso,
como mártir de si mesmo,
como se carregasse um peso.

Prefiro passar os meus dias sem acreditar em mentiras,
não preciso de ideologias,
prisão aos hipócritas falsos Messias.

Renegado,
revoltado,
é disso que se é chamado

quando se opta pelo que é certo
e não pelo que é ensinado.

É tempo de paz, tempo de reflexão e parar de perder tempo em frente a televisão.
É tempo de razão, tempo de labuta,
botar idéias em prática e prosseguir na luta.
É tempo de não perder mais tempo, não perder mais.
É tempo de olhar pra frente e de seguir adiante.
É tempo de ganhar tempo, sabendo o que ficou pra trás,
ignorando a mentira constante que contavam a nossos pais.
É tempo de não perder mais tempo,
tempo de não perder mais.

Agradeço aos amigos que me têm estima,
sofro muito com minhas regras,
me liberto com minha rima.