Uma Noite na Taverna

06 agosto 2014

Poetas



Os melhores poetas batalham
Como nas empresas
Ganham troféus, medalhas, canudos
Concursados, julgados, performáticos
Como se aritmética medisse o sentimento
Atiram ao vento pérolas e causos
Que irão ter notas como num desfile

Mas agindo na surdina, os sorumbáticos
Os outros, menores, ficam mudos
Sua empreitada é como a de matemáticos
A poesia destilada das esquinas
Querem que o verso livre
Querem mais livros
Querem irmãos e não adversários

Vão bater palmas para os bons poemas
Vão sempre bater palmas para os bons poemas
E juntos baterão palmas pelo encontro
Pelo amor a vida
Pela superação do ego
Pela busca de fraternidade
Pela música
Pela beleza da compreensão
Pela perda dos sentidos
Pela lista obrigatória de movimentos do kata