O Jusnaturalista (por Peter Pane)


(Primeira parte)


Mesmo atento 

Ele
enlouqueceu

Inovador paranóico
surpreendido
pela rotina

Enlouqueceu

Enquanto inventava-não inventava
Seu "belo" suicídio
Consumia

Rotina 
:
Poesia
:
Retina
:
Grossos livros de filosofia
:
E carreiras e carreiras
ainda mais grossas
De cocaína 

Rotina

Tornou-se o Jusnaturalista
Autoproclamado semiótico
Pai do academicismo hipotético

Moisés filosófico
Separou os lobos cerebrais
Disse não ao Homo homini lupus

Vaticinou:
"HOMO EST HOMINI DIMAIS"

(E morou conosco no manicômio
Até o fim de sua vida profética 
Sem ter escrito nenhum tomo)

Eu, Peter Pane, o saúdo
Poeta peixe graúdo 
O Jusnaturalista

Postagens mais visitadas