Uma Noite na Taverna

01 janeiro 2004

Feliz Ano Novo, amigos reais e virtuais.

Comemoramos a vitoriosa volta do planeta em torno do sol à  meia-noite, seis horas antes do tempo astronômico correto. Mas o que são seis horas para quem aguardou avidamente por 365 dias? E, pensando bem, aguardou o quê ? Mais um ano para marchar por sobre o planeta, apenas flanando? Fazer o quê ?

O Revéillon é, de certa maneira, uma forma de encontrarmos uma data para refletir sobre o ciclo que passou, sincronizá-lo com a próxima rodada do planeta e rezar pela estabilidade do geossistema. Boa desculpa para o porre e para o Prosseco (odeio espumante), para encontrar os amigos e dar abraços pelas ruas.

Ainda que tenhamos que tomar a pí­lula vermelha pra poder escapar das algemas impostas pela convenção do calendário, o Ano Novo é autêntico. Rodamos mais uma vez porra!
Tomara que, meus amigos, nenhum de vocês tenha a ilusão de fazer planos. Eu mesmo já fiz vários e , invariavelmente, estes culminam em promessas. Planos não dão certo, é melhor traçar sonhos.

Esse Ano que chega, metidinho a besta, com um dia a mais, vai beijar a lona em um novo dezembro. Até lá, pode mandar os leões que, um por um, eles cairão, dia-a-dia.
Boa luta a todos nós companheiros!!!!!!!!!!