Uma Noite na Taverna

02 agosto 2009

Minhas letras

Redentor
Música : Henrique Santos e Iuri Azevedo Lapa e Silva
Letra : Henrique Santos

Where were you when the lights begun to fade
Did you trade your great love for little dreams ?

Now I love you more
And feel weaker than before

Quero encontrar com você num final de semana
Nas areias de Copacabana

Eu sei que o dia irá sorrir
Sei que o sol irá brilhar

O Morro Dois Irmãos
Não vai mais nos separar

Adeus solidão

Eu nunca mais vou flertar
Com as meninas do Leblon
Agora tenho o que há de bom

Deixei você me seduzir
Deixei o amor me conquistar

Abri meus braços pra você
Feito o Cristo Redentor

E me apaixonei

Dia de Sol
Henrique Santos

Num dia de sol
Quero lhe encontrar
Pra lhe mostrar pra lhe dizer
Os segredos do universo
Escondidos no meu verso
Que eu não consigo ver

Na beira do mar
Eu plantei um girassol
Que vai me acompanhar
Quando eu embarcar
Numa nave espacial
Que quer se dirigir
Ao interior do som
Ao interior do sol

Quero encontrar você
Num dia de sol

Onda, praia Onda, praia Onda, praia

Num dia de sol quero lhe encontrar
Pra poder lhe dizer, pra poder lhe falar
Das coisas que sei, das coisas que não
Das coisas que vêm, das coisas que vão

Eu e você. Beira do mar.
Não sei dizer só sei sonhar.





Grow Champignon
Henrique Santos

Meu irmão ‘tá com um problema
Quer ficar “numa” legal
Mas sem arranjar encrenca
Com a polícia federal

Foi andando na fazenda
Que tudo se resolveu
Fez um chá do champignon
Que no pasto apareceu

Grow Champignon Grow

Meu irmão não acreditava
No chá que ele preparou
Quando ele tomou a coisa
Ele quase decolou

Esse chá de champignon
Dá barato pra valer
Acho até que vou fazer
Do champignon para vender

Vai vender mais que café
Vai vender mais que Coca-Cola
Vai vender em botequim
E até em porta de escola

Eu acho que quando tomei do chá não era Champignon


Alguns versos e uma balada
Henrique Santos

Amanhã vamos dormir até tarde
e eu juro não fazer alarde com os problemas do planeta
Faltou luz de novo e não tem televisão
A gente sai com os amigos procura se divertir
os noticiários só fazem me entristecer
Há tanta coisa torta na cabeça dessa gente
Simplesmente eu não consigo entender

Você me diz que nada disso importa
Eu acredito em você
Há muitos problemas no mundo que eu não posso resolver

Consertar o teto da sala vai fazer com que o prédio desabe
Vou fugir e conhecer o mundo antes que tudo se acabe
Pode cair um meteoro do céu
Ninguém mais sabe o que pode acontecer
Vou pagar a conta do aluguel e fugir com você

Meu coração assovia uma canção
muito bonita mas fora do tom
Queria tanto lhe fazer acreditar que todo mundo nesse mundo é bom
Mas eu não posso
O mundo é assim mesmo

Você me diz que nada disso importa
Eu acredito em você
Juro que amanhã conserto a porta e jogo fora a tevê

Música incidental : O mundo anda tão complicado
Renato Russo e Marcelo Bonfá


Cine
Henrique Santos

Tentei pintar minha vida como um filme de Goddard
Como algo bem difícil de entender
Que só você pudesse decifrar

Mas deu pra ver
sentado na sala em frente à tevê
Minha vida agora era um filme B
Preso num apartamento na escuridão
Louco de saudades de você

Telefonei pra gente ver um filme do Greenway
Fazer o sol nascer nesta manhã
E adormecer ao som de Djavan

Sim! Nosso roteiro de paixão parece não ter fim
Tipo de história de amor pra que se pede bis
Vai projetar nas nuvens o melhor de nós
E dar ao fim do dia um final feliz

Quiçá o Oscar de melhor canção

À La Gil
Henrique Santos

Não venha me dizer quem diabos sou eu
Não venha me dizer que o samba já morreu

Eu sou do povo eu subo morro
Sou caçador de mil tesouros

Não venha me dizer quem diabos sou eu

Pássaro
Música : Iuri Azevedo Lapa e Silva
Letra : Henrique Santos

Ela acorda preocupada com a guerra na Palestina
E com meninos e meninas que vendem balas nas esquinas
Mas eu não ligo pro mundo
Só ligo pro que digo e faço
Sou simples homem da terra e ela é um pássaro solto no espaço

Ah! Eu quero lhe dizer
Que tudo que há de ser
Tudo que há de acontecer nesse mundo
Não pode superar a noite de amor que tenho pra lhe dar
Mas eu não sei

Ela acorda preocupada com a guerra na Palestina
E com a tevê ligada o dia inteiro que tudo fala e nada ensina
Mas eu não ligo pro mundo
Só ligo pro que digo e faço
Sou simples homem da terra e ela é um pássaro solto no espaço

Ah! Eu quero lhe abraçar
Quero lhe transportar pra algum outro lugar
fora deste mundo
Viciado em sofrer
Que não quer o seu amor, não sabe lhe querer

Ah, sim ! Eu quero lhe dizer
Que tudo que há de ser
Tudo que há de acontecer nesse mundo
Não pode superar a noite de amor que tenho pra lhe dar
Mas eu não sei

Eu não sei

Chocolate
Henrique Santos

Qual é a receita do meu chocolate ?
Qual é receita da minha malandragem ?

É o meu cacau
É o meu cacau

Na pele eu tenho o marrom
Sorriso puro néon
Eu sei do mar eu sei
Iemanjá sorriu pra mim
Eu ‘tô em todas ‘tô afim
Eu sei do mar eu sei

Sei que posso te encontrar
em algum canto de jardim pra mim porque ...

Qual é a receita do meu chocolate ?
Qual é receita da minha malandragem ?

É o meu cacau
É o meu cacau

Canção do despeito
Henrique Santos

Eu quis te dar meu coração
mas você saiu correndo
me largou e disse não

Não quis ser dona de ninguém
deixou meu peito em pedaços
e partiu meu coração

Agora eu estou desesperado
tomando muito cuidado
para não despedaçar

Aquilo que inda vai dentro do peito
inda arde qual defeito
impossível de curar

Eu quis te dar meu coração
mas você saiu correndo
me largou e disse não

Não quis ser dona de ninguém
deixou meu peito em pedaços
e eu corri pro violão

Agora eu estou desesperado
tomando muito cuidado
para não despedaçar

Aquilo que inda vai dentro do peito
inda arde qual defeito
impossível de curar

Eu quis te dar meu coração
mas você saiu correndo
me largou e disse não

Não quis ser dona de ninguém
deixou meu peito em pedaços
e eu compus esta canção

Parauê
Iuri Azevedo Música
Henrique Santos Letra

Pa-a-a-rauê

Você é sempre o falador
Aquele que parou pra reclamar
Quer falar da realidade
e nunca da novela que sempre está no ar

Vê se sai logo dessa treta Zé Maneta
‘cé ‘tá cego ?
demorou pra se aprumar
Vê se dança como manda o tango
Arruma um mango e se mandá
pra algum outro lugar

Parauê

Você sempre está com pressa
Que diabo de promessa
Que você veio arranjar ?
Querem ir no rabo do cometa
Mas pra isso eu não vou me suicidar

Querem acabar com meu planeta
Mas nessa treta eu sei que nunca hei de entrar
Vou fazer como manda o tango
Vou arranjar um mango e me mandar
pra um lugar perto do mar

Livros na estante
Henrique Santos

De tanto contar as mesmas histórias
O pó se acumula em cima dos livros
Que jazem na estante revoltados, mudos
Que jazem na estante sem nunca serem lidos

E os noticiários dão pólvora
E bombas explodem em Jerusalém
Aqui no morro o tiroteio é todo dia
E o menino favelado morre baleado
O analfabeto ajoelhado diz Amém

E tudo isto cheira a pó

Tudo isto me cheira a pó
De livros fechados em cima da estante
Pois é só abrir os olhos para num instante
Ver que tudo isto é a mesma história
Que sempre veio antes

E os noticiários dão pólvora
E bombas explodem em Jerusalém
Aqui no morro o tiroteio é todo dia
E o menino favelado morre baleado
O analfabeto ajoelhado diz Amém

E tudo isto cheira a pó

Miséria
Henrique Santos

A miséria nasce nas capitais
Invade mangues sobe morros e destrói famílias
Fruto de um sistema que se acha nobre
Mas que dá tudo ao rico dando grilhões aos pobres

A miséria invade as casas pelos telejornais
Milhões de mortos nas esquinas
Versões oficiais não dão conta da chacina
Que acontece todo dia
Amanhã a gente esquece e já foi feita a faxina

A miséria nasce e mora nas capitais
No discurso de idiotas e de intelectuais
A serviço de patéticas ideologias
Prolifera o medo
Perpetua a hipocrisia
Em condomínios fechados
entre muros de concreto se esconde a burguesia
À sua porta batem mendigos e ladrões
Putas e viciados que seu vício financia

Papo de Dotô
Iuri azevedo Música
Henrique Santos Letra

Faça-me o favor
Sai pra lá com esse seu papo de dotô
Cismando em responder
Aquilo que nunca ninguém lhe perguntou

Você pega no canudo
Sabe tudo do Universo
Mas amigo é o inverso
‘Cê tem muito que aprender

Não venha me dizer
Quem sou pra onde vou e o que eu tenho que fazer
E não tente me enrolar
‘Cê fala demais sem ter nada o que falar

Todo mundo bocejando
e você ainda impondo banca
Todos querem lhe matar
Mesmo assim ‘cê não se manca

Faça-me o favor
Sai pra lá com esse seu papo de dotô
Cismando em criticar
Ao invés de notar o que diz este cantor

Você pega no canudo
Sabe tudo do Universo
Mas amigo é o inverso
‘Cê tem muito que aprender

Então, faça-me o favor
Sai pra lá com esse seu papo de dotô

Edir Perverso
Henrique Santos

O bispo Edir Perverso não tem culpa se você
Lhe deu todo o seu dinheiro e não foi abençoado

O bispo Edir Perverso se compara com Jesus
Compra carros e mansões e quer ser glorificado

Enquanto a Universal tenta comprar o Universo
O bispo Edir Perverso finge ser crucificado

Se não está do lado dele está do lado do diabo
O bispo Edir Perverso é o próprio Iluminado

Vende pedaços do céu a preço de banana
Pague um dízimo sacana que o seu está reservado

Perverso ficou rico com o medo do pecado
Vendendo Jesus pra um povo pobre e desesperado

Enquanto a Universal tenta comprar o universo
O bispo Edir Perverso finge ser crucificado

Tempos Felizes
Henrique Santos


Nunca vivemos tempos tão felizes
Nunca vivemos tempos tão bons

Podemos escolher a grossura da chibata
Ou discutir o peso de nossos grilhões
com nossos patrões
Podemos transformar nossos amigos em escravos
Alimentar a alma apenas com ilusões

Vamos então à rua assassinar crianças
Apenas pra vendermos mais notícias nos jornais
É tempo em que podemos vender sonhos e esperanças
Em pleno horário nobre ou nos comerciais

Nunca vivemos tempos tão felizes
Nunca vivemos tempos tão legais

Meninos Pretos
Henrique Santos

Pobres meninos pretos
Na rua cheirando cola
Jogando bola no mangue

O estômago é que reclama
Será que ninguém nos ama
Só tem cola pra cheirar

Pobres meninos pretos
dos becos e das favelas
das palafitas e guetos

Nos sinais vendendo balas
Fugindo da escola cheirando cola
Jogando bola no mangue

Pobres meninos pretos
Com passado de luta
E futuro de sangue

Pobres meninos pretos
Jogando bola no mangue


Disciple of the Genocide

“Go to war”, you’ve said
“You’re gonna be a brave”
“The other side is wrong”
“Kill and you’ll be safe”

“Kill ‘cause we’re right
“Choose a place to ride
“They are the enemy”

You were not a soldier on the front line
You are a disciple of the genocide

I know you tried to change
You forget your dirt past
But I did not forget you, pal

The hell still wants to have your soul

You can run away
You can Kneel and pray
There’s no second chance

You were not a soldier on the front line
You are a disciple of the genocide

I just shoot to keep my life
But you’ve killed innocents
I was just a soldier
You were a murderer

You can run away
You can kneel and pray
There’s no second chance

You were not a soldier on the front line
You are a disciple of the genocide

Hopeless Song

I’m walking in the shadows
I feel secure and so alone
Here I see the face of evil
While humans desperate

The devil has his own way
To see the life we spent with fear
While people kneel to ask for Jesus
He starts his screamings to the moon

I ask for you
Why we fight in war?
I ask for you
Why we die for?

The world has felt in desperation
The future is gray
The future is dead

I have no sense of destination
There’s only fear in my head

The world is ruled by the lords of death
And they don’t care if you can believe hell
You don’t have to die to be there
Nobody escapes from war
Nobody escapes from Hell

Anger

They want to buy your soul with propaganda
And feed the prejudice you have with fear
Ignorance has taken over
The master plan has became crystal clear

Ao olhar a tevê eu fico estupefato
Acham que eu sou idiota e não conheço os fatos
São mentiras e mentiras cujo objetivo final
É me deixar ignorante, perpetuar o mal.
Aumentar meu preconceito, nunca me aprimorar.
Aceitar como um babaca bosta posta à venda
Mas minha mente não se rende, não.
Pois há quem compreenda
Que o mundo vai além da mediocridade da mídia
Novela, horário nobre.
E que pra mudar o mundo não basta apenas virtude
É preciso inteligência, coragem e atitude.
Não fique sentado num trono
Achando-se o rei da virtude
Levante e mostre revolta, liberdade e atitude.

They want to wash your brain with propaganda
They want to build a wall inside your mind
They want to wash your brain with propaganda
They want to build a wall inside your mind


Exorcism

As time flies
You bring more lies
But now you know that no one is gonna tell me
Where I should go

I’m running free
You cannot see
`Cause your illusion makes you think

You’re god dawn wrong

Realize...
No one possess me
You’re god dawn wrong

As time flies
You bring more lies
But now you know that no one is gonna kept me

Set me free while you have the chance
Or take all my rage and die as a consequence

I’m running free
You cannot see
`Cause your illusion makes you think
that you possess me


Placebo

I could be your brother, father, mother, lover and your son
Since you are the only one who said that I’m the only one
I could be your Holy Ghost, your Father and the Holy Son

You just have to tell me that you could be would be my little girl
And the things that came along could have an end less than below
We could make a whole empire, you just have to tell me so
We are Hamlet and Ophelia, just a distance from hello

I am full of your disguises and all the times you said me no
Since your tears washed up the sun and poisoned out our last run
I am your last one for the road and I could be your loaded gun

You just have to tell me that you could be would be my little girl
And the things that came along could have an end less than below
We could make a whole empire, you just have to tell me so
We are Tristan and Isolda, trapped in a land of ghosts

Come to taste the taste you know
Come to mess the sheets you own
Come to bless the child you grown
Come to bless the child you grown
Come to bless the child you grown
Come to die in the arms you love