Uma Noite na Taverna

19 outubro 2014

Há malas e males também no amor



Arrumei hoje as malas
Me faltaram as metáforas
Há muito que me falta aqui

Eu?
não faço mais falta

Falhei sim. E, arrependido,
Pedi perdão por erros que não cometi sozinho
Mas faltou a sua confissão

Sobrou o abandono
E uma triste certeza :
Não conseguirei mais seu amor

Nem mesmo consegui remendar o abraço
O abraço terno, não de despedida,
Mas de boa sorte

Parti com olhos cheios de lágrimas
Para não ver o amor apodrecer

A viagem impossível para uma outra vida
Terá que ser tentada

Amanhã, longe de seu corpo,
Irei desfazer as malas
Mais leves, certamente,
Do que a dor que carrego comigo