Uma Noite na Taverna

14 setembro 2014

Dando um tempo para o verso com um dedo de prosa



A brutal necessidade em colocar-se em um clube, um partido ou mesmo em uma ideologia que permeia a média dos discursos dos brasileiros na rede mundial é enfastiante.
Incapazes de elaborar uma argumentação ponderada os indivíduos acabam repetindo trechos curtos como palavras de ordem ou compartilhando textos de conteúdo questionável sem fazer qualquer ressalva.

Como consequência, vemos uma pseudo polarização entre "vanguarda" e "conservadores", esquerda e direita. Uma torpe falsificação do embate real que ocorre no mundo offline.

Preocupa-me profundamente a reprodução profícua de material escrito com conteúdo preconceituoso. Preocupa-me ainda mais a baixa qualidade das discussões contrárias que, pecando em conteúdo, acabam por fortalecer essas sandices que encontramos.

Ao analisarmos os fatos temos que ter em mente que nem todo religioso é o Malafaia, que um artigo sobre o Lobão não o resume, que ser Ateu não tem nada a ver com não ser babaca mas, acima de tudo, temos que nos focar nos fatos e no que efetivamente foi dito.

Haja vista que hoje podemos, muito mais facilmente do que antes, distribuir notícias, denúncias e pontos de vista, é mister que trabalhemos para apurar nosso senso crítico para não sermos manipulados ou distraídos pelos oportunistas treinados na escola da falácia e da bravata.

É isso. Cuidado com esse oba oba, sejam responsáveis com suas opiniões pois elas podem ser individuais e não necessariamente dogmáticas. Digo não ao patrulhamento ideológico e acredito na discussão saudável que costumamos chamar de diálogo.