Uma Noite na Taverna

05 novembro 2014

O amor é a inteligência da natureza





Falta amor e amor é só do que precisamos.

A luta, amigos, vai além das trincheiras reais do mundo moderno. Mundo soterrado pelas sedutoras mentiras de um céu consumista arraigadas na sociedade ocidental por uma cultura do medo e da escassez, do status, ambição e ganância e da latente predisposição humana a escravização.

Nossa fé? Esse exército de homens alimentados por migalhas há de despertar para sua condição de escravos. E tem que despertar antes que a sociedade torne-se um palco ainda maior de atrocidades que as igrejas, as tevês e os governos escondem. Antes que a fome nos devore a todos e as doenças fujam ao nosso controle, antes de dizimarmos uns aos outros por petróleo e diamantes, antes de envenenarmos o ar e os oceanos de forma definitiva, precisamos romper os grilhões e trabalhar juntos.

Mas, amigos, se a essa máquina que transforma mentes em estômagos dizemos não a todo momento veementemente e denunciamos seus malévolos planos através do Canto, da cátedra e do exemplo de vida (e, por vezes até das bombas), por que há ainda novos soldados engrossando as filas dos moedores de carne? Pergunto-lhes mais: por que parecem insistir em matar a sua galinha de ouro os ditos senhores do mundo, os famintos por poder e almas?

Eu lhes digo: nosso problema é profundo e espiritual. São todos escravos, até os pretensos senhores de tudo.

A educação pode retirar parte do véu que encobre a síndrome de estocolmo que aflige nossa sociedade mas o toque perverso do sistema atua nos corações e mentes de forma direta, sem o filtro da razão crítica, e se perpetua através da igreja, da cátedra e até mesmo da imitação do Canto dividindo os homens em ilhas de ódio independentemente de seu nível social.

Mas neste momento especial em que podemos nos comunicar mais facilmente fica cada vez mais difícil sublimar ou esconder as imperfeições e mentiras dos genocidas mafiosos e dos pequenos lordes feudais. Assim como Babel ruiu esta forma de organização irá ruir. Preparem-se para dançar sobre os escombros desse mundo vil e hipócrita e voltar a sorrir.

Fortalecer a percepção do que é real e importante e contaminar as pessoas com a beleza: nossa única arma. Se falta amor, falta inteligência ao mundo. Para sermos eficazes temos que ser fortes no amor.

Carreguem os espíritos então, amigos. Será uma longa luta essa guerra santa.